Preço médio do investimento será entre R$ 100 e R$ 150.

Dia dos Pais será a primeira data comemorativa para o comércio aberto depois da pandemia O Dia dos Pais é só no domingo da semana que vem, mas para o comércio o sábado (1º) já foi de vendas.

O movimento nas ruas é como um termômetro para terceira data mais importante para o setor.

Em Mogi das Cruzes a previsão é aumento nas vendas, mesmo com a pandemia. O setor está apostando nos preços para chamar a atenção da clientela.

Neste fim de semana teve gente andando pelo Centro da cidade, mas por enquanto muitos estão só namorando as vitrines. "Por conta das pessoas não terem aquele horário inteiro para virem gastar, elas vão aproveitar as oportunidades do tempo que elas vão ter até a data do Dia dos Pais.

Acredito que não vai ficar tudo para a última hora este ano, não", avalia Cristiane Olga Pereira, gerente de loja.

A loja de cosméticos acredita no aumento das vendas, mas nada comparado ao Dia dos Pais do ano passado.

Mas os clientes estão voltado com sacola para casa. "Não tem como a gente medir um crescimento, mas a gente tem a expectativa de alcançar um valor do ano anterior", conta a gerente.

O que tem animado o setor é que os clientes estão com vontade de comprar.

Uma pesquisa feita pela Associação Comercial de Mogi mostra que mesmo com a pandemia, as vendas devem crescer. Fádua Sleiman, vice-presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes diz que 70% das pessoas pesquisadas vão comprar.

Ou seja, mais pessoas vão estar comprando em relação ao no passado. "O Dia dos Pais é praticamente a primeira data comemorativa com as lojas abertas e a circulação de consumidores nas ruas, então, a expectativa é grande.

A reabertura do comércio em Mogi se deu no Dia dos Namorados, o que limitou os resultados.

Desta vez não.

O comércio já está funcionando há algumas semanas e o consumidor está adaptado aos horários.

Além disso, o Dia dos Pais tem um forte apelo e a maioria dos filhos vai se esforçar para comprar presentes", ressalta Fádua. O Dia dos pais que geralmente é de lembrancinha, este ano pode ser diferente.

Desde que a quarentena começou esta é a primeira data comercial que os lojistas vão poder receber os clientes pessoalmente. Por isso muitos filhos devem gastar um pouco mais este ano.

Em Mogi, o presente deve ficar entre R$ 100 R$ 150.

Além de comprar um presente com um valor agregado maior. Essa é a expectativa de uma dupla de empreendedoras.

A caixa surpresa é personalizada e tem até hora certa para ser aberta. "O diferencial é fazer com que a pessoa presenteada viva uma experiência.

Então você escolher presentes geram emoção, que são personalizados.

Esse é o nosso diferencial.

Além da caixa com data e hora para ser aberta.

A pessoa não sabe o presente que ela recebeu, nem quem deu, e a pessoa que deu esperando o horário para ligar e compartilhar o presente em conjunto", pontua Joyce Passos Lemos, uma das sócias.

A empresa surgiu durante a pandemia.

Surpreendeu não só os clientes, mas as sócias - que precisaram investir só R$ 900 para executar a ideia. "A gente está enxergando que tem uma importância, sim, de Dia dos Pais.

Até o momento, a gente está uns dias antes, e já conseguiu vender 16 caixas.

O que é algo surpreendente para a gente.

No Dia das Mães, a meta foi 25 caixas, e a gente conseguiu bater" pontua a outra sócia, Leni Kiyokawa.